//// SONIDO BUENO ////

boa música – bonne musique – good music – よい音楽 – gute musik

Uakti – Ensaio sobre a cegueira 25 agosto, 2009

Filed under: uakti — sonidobueno @ 9:28 pm
Tags: , ,

Saramago

A trilha:

Quando começou a planejar como seria a trilha sonora de “Ensaio sobre a cegueira”, Fernando Meirelles pensou em colocar o espectador “num universo sonoro tão novo quanto o mundo da cegueira”. Foi o que o diretor da adaptação do livro de José Saramago para o cinema declarou no blog do filme. Para conseguir o que queria, convidou o Uakti, grupo mineiro que tira sons de instrumentos artesanais, feitos a partir de canos de PVC, sandálias Havaianas etc.

O livro:

O romance aborda a emergência de uma inédita praga de uma repentina cegueira abatendo uma cidade não identificada, inexplicável e incurável. Tal “cegueira branca” — assim nomeada pois as pessoas infectadas percebem em seus olhos nada mais que uma superfície leitosa — manifesta-se primeiramente em um homem sentado no trânsito e, lentamente, se espalha pelo país. Aos poucos, todos acabam cegos e reduzidos, pela obscuridade, a meros seres lutando por seus instintos. À medida que os afectados pela epidemia são colocados em quarentena, em condições desumanas, e os serviços estatais começam a falhar, a trama segue a mulher de um médico, a única pessoa que não é afectada pela doença que cega todos os outros.

O romance nos mostra o desmoronar completo da sociedade que, por causa da cegueira, perde tudo aquilo que considera como civilização e, (tal como em A Peste, de Albert Camus) mais que comentar as facetas básicas da natureza humana à medida que elas emergem numa crise de epidemia, Ensaio sobre a cegueira mostra a profunda humanidade dos que são obrigados a confiar uns nos outros quando os seus sentidos físicos os deixam. O brilho branco da cegueira ilumina as percepções das personagens principais, e a história torna-se não só um registro da sobrevivência física das multidões cegas, mas também das suas vidas espirituais e da dignidade que tentam manter. Mais do que olhar, importa reparar no outro. Só dessa forma o homem se humaniza novamente.

O resultado final dessa trilha sonora é realmente muito bom. Cheia de novos instrumentos e sons, ouvi-la é uma grande descoberta para os ouvidos. Vale a pena conferir!

.

.

01. Drama 3 ////PLAY////
02. Minimal 8
03. Tri la Solo 2
04. Chori Solo
05. Minimal 5
06. Minimal 13
07. Trilobita Solo 2
08. Minimal 4
09. Minimal 16
10. Piano Strings 3
11. Last Ong
12. Bach-Preludes-Flutes
13. Dance of the Hexagrams
14. Bach-Largo

DOWNLOAD

Anúncios
 

Beirut – March of the Zapotec 18 agosto, 2009

Filed under: beirut — sonidobueno @ 8:15 pm
Tags: , , , , ,

beirut-zapotecBeirut é o nome da banda de Zach Condon, nativo de Santa Fe, Novo México. O primeiro lançamento oficial com o nome de Beirut contou com a colaboração de Jeremy Barnes (Neutral Milk Hotel, A Hawk and a Hacksaw) e Heather Trost (A Hawk and a Hacksaw); ele combina elementos do Leste Europeu e do folk. Zach Condon tem o trompete e o ukelele como seus principais instrumentos, tendo sido impedido de tocar guitarra por conta de um machucado no pulso.

Quando mais novo, Zach Condon já havia lançado alguns álbuns. Ele gravou com o nome The Real People quando tinha 15 anos um albúm de lo-fi chamado The Joys of Losing Wight. Estudou na escola Santa Fe High School até os 16 anos de idade, quando foi viajar pela Europa, continente no qual teve contato com a música balcânica, incluindo Boban Marković Orchestra e Goran Bregović.

Em 2006, o Beirut lançou dois álbuns inspirados pelos Balcãs pela Ba Da Bing, Gulag Orkestar e Lon Gisland. Também lançaram outras músicas separadas, três disponíveis no Pompeii EP, outra num split-CD junto a Calexico, e outra numa coletânea para a revista The Believer. Enquanto morava no Brooklyn, Zach Condon gravou também um video de “Scenic World” na fábrica da Sweet’N Low, e tocou em vários lugares em Nova Iorque e Europa.

O segundo álbum, The Flying Club Cup, vazou na internet em 25 de Agosto de 2007 e foi lançado em 9 de outubro de 2007.

Confira seu último EP ‘March of the Zapotec and Realpeople Holland‘. Uma baita descoberta do Odyr.

.

.

01. El Zocalo
02. La Llorna ////PLAY////
03. My Wife
04. The Akara
05. On a Bayonet”
06. The Shrew”
07. My Night with the Prostitute from Marseille
08. My Wife, Lost in the Wild
09. Venice
10. The Concubine
11. No Dice

DOWNLOAD

 

Sonidos Buenos – Volume 1 23 junho, 2009

Filed under: sonidos buenos vol. 1 — sonidobueno @ 2:17 pm
Tags: , , , , ,

Sonidos Buenos Vol. 1

Apartir de hoje o Sonido Bueno estreia uma nova opção em downlods. Tratam-se de coletêneas idealizadas por este humilde editor que vos fala.

Esta tudo mastigadinho…crème de la crème mesmo. Mas é claro que não extite nem a pretenção nem a possibilidade de agradar a todos, porém para aqueles que já acompanham a trajetória, o histórico desse site podem ficar sosegados que esse novo álbum foi todo pensado para manter a concepção de “som bom” aqui  proposta.

Antes de tudo Sonidos Buenos – Volume 1 é uma experiência. Portanto se for bem aceita , a proposta será tocada adiante, e continuarei esse trabalho de garimpeiro compulsivo da música, e (tentar) lançar um apanhado desses por mês.

Este primeiro volume é bastante variado, tanto em estilos quanto em nacionalidades. Partindo dos ritmos cubanos (Los Guaracheros de Oriente, Eliades Ochoa y el Cuarteto Patria), passando pelo grupo vacal do anos 40 (The Mills Brothers), e isso tudo sem esquecer da incomparável musicalide brasileira representada por Elza Soares, Marku Ribas, Trio Mocotó entre outros.

Bueno…acho que é isso. Espero que gostem e até a próxima!

.

1

.

.

2

.

01. The Mills Brothers – Caravan ////PLAY 1////
02. Los Guaracheros de Oriente – Patria Querida
03. Elza Soares e Banda Luar de Prata – De Noite Na Cama
04. Joaquín Sabina – 19 Días Y 500 Noches
05. Marku Ribas – Marku Ribas
06. Bobby Hutcherson – YuYo
07. Tribe – Baby Feet
08. Tom Zé – Dodó e Zezé
09. Madeleine Peyroux – Dance me to the end of love
10. A voz do morro – Cuidado
11. Lonnie Liston Smith – Expansions
12. US3 – You Know What We Got To Do
13. Planet Hemp – Se Liga (PARTE SECRETA)
14. Eliades Ochoa y el Cuarteto Patria – Al Vaivιn de mi Carreta
15. Tom Zé & Wisnik – Xiquexique
16. Donny Hathaway – The ghetto
17. Trio Mocotó – Os Orixás ////PLAY 2////

DOWNLOAD

 

Móveis Coloniais de Acaju – C_mpl_te 2 junho, 2009

Filed under: móveis coloniais de acaju — sonidobueno @ 12:29 pm
Tags: ,

Moveis_C_mpl_teCom orgulho, a Trama lança seu quarto Álbum Virtual. Desta vez, quem faz as honras é a banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, apresentando C_mpl_te, o segundo álbum do grupo.

O novo registro dos rapazes reúne 11 faixas inéditas, além do single Sem palavras, lançado em 2007; e traz um frescor raro à música pop brasileira. “Sensacional! Sem dúvida, um dos melhores e mais importantes discos que fiz”, declara o produtor Carlos Eduardo Miranda. Miranda reuniu e coordenou mais de nove instrumentos por faixa. O resultado são arranjos harmoniosos, facilmente percebido em músicas como Descomplica, Café com leite ou ainda, Bem natural.

Segundo o baixista do Móveis, Fábio Pedroza, o grande desafio e a maior preocupação neste trabalho foi deixar clara a identidade sonora do grupo, todo o esforço foi no sentido de criar músicas e composições ainda mais autorais. Neste contexto, as influências foram cuidadosamente lapidadas. Para atingir o objetivo, os nove integrantes se mudaram temporariamente para São Paulo, onde permaneceram nos estúdios da Trama quase 24 horas por dia.

Móveis despontou na cena musical de Brasília em 2002, quando conquistou o público com suas apresentações performáticas e cheias de surpresas. Entre aquele ano e 2004, o sucesso foi crescente e se consolidou com o lançamento do álbum de estréia, Idem. Em apenas um ano, o trabalho alcançou a marca de 5 mil discos vendidos. Mas a banda não parou por aí. Eles agitam Brasília com edições anuais do festival Móveis Convida, que já faz parte do calendário anual de eventos da cidade.

A última parada da trupe antes do estúdio foi o Pukkelpop Festival, um dos maiores festivais de música do mundo, realizado em agosto de 2007, na Bélgica. Lá, dividiram palco com bandas como Metallica e The Killers e seguiram em turnê por Suíça, Alemanha e República Tcheca.

FONTE

.

.

01. Adeus
02. Lista de Casamento
03. O Tempo
04. Cão-Guia ////PLAY////
05. Descomplica
06. Café com Leite
07. Pra Manter Ou Mudar (A Do Piano)
08. Bem Natural
09. Falso Retrato (U-hu)
10. Cheia de Manha
11. Sem Palavras
12. Indiferença

DOWNLOAD

 

Finley Quaye 17 maio, 2009

Filed under: finley quaye — sonidobueno @ 11:48 pm
Tags: , ,

coverFinley Quaye (Edimburgo, 25 de Março de 1974) é um músico britânico. Quando ganhou, em 1998 o Brit Award para Melhor Artista Britânico a Solo, ele era famoso há menos de um ano. Em 1997, ele surgiu do nada com um fantastico mix de Reggae, Soul, Jazz e Funk e tomou o trono do Dance Pop, ocupado previamente por Jamiroquai.

Filho de Cab Quaye compositor de Jazz, irmão do famoso guitarrista Caleb e alegadamente tio do artista de Trip Hop, Tricky, ele fez a sua primeira aparição em 1995 com A Guy Called Gerald’s “Finley’s Rainbow”. Realizou um solo com Haiku e nos finais de 1997, atingiu o top 20 britânico duas vezes com “Sunday Shining”, um descontraido cover de Bob Marley e “Even After All”. A sua reputação ficou estabelecida com Maverick A Strike, um álbum aventureiro mas acessível, que atingiu o Ouro menos de três semanas depois de lançado tendo-o levado directamente á victoria do Brit Award.

No entanto, não se augurava nada de bom quando Tricky – com quem tinha colaborado no fim de 1997 em “Please Share My Dappy Umbrella”, contando também com Iggy Pop – o culpou no seu “Can’t Freestyle”.

Em 2004 a música “Dice”, feita conjuntamente com William Orbit, e contando com Beth Orton fez um pouco de sucesso, ajudada em parte pela sua inclusão na trilha sonora de The O.C..

FONTE

.

1

.

.

2

.

01. Sunday Shining
02. It’s Great When We’re Together
03. Dice
04. Your Love Gets Sweeter (Abbey Road Version)
05. Even After All ////PLAY 1////
06. Something To Say
07. Ultra Stimulation
08. Living With out You
09. Spiritualized
10. Maverick A Strike ////PLAY 2////
11. When I Burn Off Into The Distance
12. This Is How I Feel
13. White Paper
14. Hey Now
15. Sweet And Loving Man
16. Burning

DOWNLOAD

 

Caetano Veloso e Jorge Mautner – Eu não peço desculpa 3 abril, 2009

Filed under: caetano veloso e jorge mautner — sonidobueno @ 12:58 pm
Tags: ,

folderEu não peço desculpa
por Caetano Veloso:

As risadas e os sustos que as conversas com Mautner sempre provocam, excitaram minha imaginação de modo especial nos encontros que tivemos, entre outubro e dezembro de 2001, o que me levou a desejar fazer um disco em colaboração com ele. A amizade que mantemos desde que nos vimos pela primeira vez, em Londres, no começo da década de 1970, é e foi sempre muito importante para mim. Mas nunca tive tão clara em minha mente a pergunta sobre minha verdadeira ambição quanto durante esses papos mais recentes: certamente o que ambiciono não é a fama e menos ainda a riqueza “material”; será a poesia?, a política? ou… a profecia?

Foi essa hipótese da ambição profética que me levou a propor a Mautner o disco conjunto. Porque Jorge é uma improvável mistura de paganista com profeta de Israel. Daí é que vem o fascínio que sua curiosa personalidade paraliterária, paramusical, e parapolítica (sua instigante personalidade tout court) exerce sobre mim.Sem dúvida, é dessa combinação que vieram suas inclinações de adolescência para liderar movimentos com características quase fascistas, o que, paradoxalmente(?), o levou aos altos círculos do Partido Comunista e, sobretudo, à produção de um romance assombrosamente forte chamado “Deus da Chuva e da Morte”. A experiência, na extrema juventude, de debruçar a imaginação mítica sobre informações secretas da política pesada deu-lhe uma visão única (e mais contraditória na aparência do que na realidade) de como se joga com o poder no mundo. Uma visão que ele não cansa de reconstruir, me virar, atualizar.

Os terríveis acontecimentos de 11 de setembro de 2001, envolvendo Nova Iorque, cidade amada por ele e por mim, e repercutindo na situação de Israel, país que adoramos, e no vasto Islã, que nos fascina e nos remete à pergunta pelo destino da idéia central do povo Judeu, o Monoteísmo, nos levaram a conversas sobre o mundo, o Brasil, a vida dos homens. Nessas conversas, às vezes eu sentia medo. Pois bem: foi para espantar o medo que decidi pedir a Jorge que deixássemos tudo desaguar em canções. Depois de vê-lo, no carnaval de 2002, em Salvador, cantar o “Hino do Carnaval Brasileiro”, num trio elétrico, em meio a um verão singularmente amargo para mim, entendi que o disco teria que ser feito logo que eu voltasse para o Rio. As canções que fizemos não lembram ou ilustram essas conversas de que falei. São, em geral, canções pop-paródicas: elas exibem o distanciamento que Mautner mantém em sua permanente metamorfose apaixonada. Fazem rir e podem fazer chorar.

(…)Nelson Jacobina estava sempre lá: o grande Nelson, o Carneirinho, principal parceiro de Jorge (não só o mais freqüente como também co-autor das obras-primas). Fabiano, pilotando, só transmitia tranqüilidade, doçura e segurança. Tarta, quase que só doçura. Havia também uma foto da Luana Piovani pregada na porta, do lado de dentro do estúdio. Dizíamos que ela era a nossa padroeira: ela foi a madrinha da bateria do nosso samba. Um dia eu a levei lá. Em carne e osso. Parecia uma visão irreal. Ela ficou até o fim da sessão. Todos os rapazes ficaram extasiados. Ninguém se recuperou ainda direito. Quem canta seus males espanta. Este disco é para a gente atravessar esses tempos de homens-bomba, especulação globalizada, dengue e insegurança. Com a ajuda da lua de Jorge – e das Luanas – chegaremos vivos a um outro ambiente.

FONTE

.

1

.

.

2

.

01. Todo errado
02. Feitiço
03. Manjar de reis
04. Tarado ////PLAY 1////
05. Maracatu atômico
06. O namorado
07. Coisa assassina
08. Homem bomba
09. Lágrimas negras
10. Morre-se assim
11. Graça divina
12. Cajuína
13. Voa, voa perereca
14. Hino do carnaval brasileiro ////PLAY 2////

DOWNLOAD